Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

S.O. S SECA HOTEL TAMBAÚ: FUI E VI. NADA FALEI!

450 km, sete horas de viagem. Assim foi minha ida a João Pessoa para participar do lançamento do SO S SECA, no luxuoso Hotel Tambaú. Saí duas da madrugada,não dormi,cheguei cansado, sem nada comer. Na viagem á capital, carregava uma certeza: a grande oportunidade para falar sobre o sofrimento dos sertanejos havia chegado.
Chegando ao luxuoso hotel, fiquei por ali, esperando o grande momento de dar meu grito de alerta,de expor para os presentes, as dores,as agonias e desesperos dos meus irmãos sertanejos.Tudo em vão.
Infelizmente, essa esperança de falar, clamar, pedir socorro para meus irmãos vítimas da seca, esvaiu-se, foi por terra. A oportunidade para expor sobre o drama da seca não me foi dada. Saí do auditório com os olhos lacrimejados, mas com a consciência tranquila da missão cumprida.
Não quiseram ouvir os clamores dos sertanejos na voz deste humilde padre do interior, que convive, noite e dia, com os sofridos e desesperados sertanejos.
Queridos sertanejos, contem comigo. Nunca os abandonarei. Estarei com vocês nesta hora de dor, desespero, clamor, lágrimas, flagelo, mortes. Não fugirei da luta.
Sertanejos do meu coração, o meu desejo de ajudar-lhes nesta hora de aflição é tão grande, quanto à inércia, à hipocrisia e o oportunismo de tantos.
À imprensa paraibana, em nome dos sertanejos, digo: muito obrigado pelo seu incondicional apoio nesta luta renhida em defesa de milhares de seres humanos que clamam, pungentemente, por pão e água.

Nunca haverão de calar minha voz.
Padre Djacy Brasileiro, em 16 de janeiro de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário