Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Aprender pra viver melhor



 A docência deveria preocupar-se constantemente em desenvolver as aprendizagens dos discentes, baseando-se nos pilares da educação: aprender a conhecer indica o interesse, a abertura para o conhecimento, que verdadeiramente liberta da ignorância; aprender a fazer mostra a coragem de executar, de correr riscos, de errar mesmo na busca de acertar; aprender a conviver traz o desafio da convivência que apresenta o respeito a todos e o exercício de fraternidade como caminho do entendimento; e, finalmente, aprender a ser, que, talvez, seja o mais importante por explicitar o papel do cidadão e o objetivo de viver.
Essas aprendizagens devem ser a base no cotidiano da sala de aula de qualquer professor que almeja melhores índices no desempenho dos alunos, no entanto destaca-se aprender a ser, a mais importante, pois, desenvolve a sensibilidade, no sentido ético e estético, visando à responsabilidade pessoal, pensamento autônomo e crítico, imaginação, criatividade, iniciativa e crescimento integral da pessoa em relação à inteligência. A aprendizagem precisa ser integral, não negligenciando nenhuma das potencialidades de cada indivíduo.
Tendo em vista as discussões nas turmas do ensino médio na EEEFM Joselita Brasileiro no município de Igaracy, filosofamos, indagamos, questionamos e dialogamos constantemente sobre educação ambiental e os mais variados temas como: lixo, os 3 R’S – reduzir, reutilizar e reciclar, bem como sustentabilidade, chegamos a conclusão que poderíamos colocar essas teorias em prática e fazermos uma ação que pudéssemos ser agentes de transformação e por a “mão na massa” para comprarmos as lixeiras seletivas, onde a participação extrapolou os muros  da escola tendo como patrocinador oficial Odilon Calçados que gentilmente doou uma sapatilha vizzano, a qual foi rifada, com ajuda dos alunos e de toda comunidade escolar, bem como a população Igaraciense disse sim e colaborou ativamente.
Para a aluna Flávia Mirele do 3º ano “A”, a idéia é um ótimo começo para a educação ambiental, como podemos dizer em disciplina em uma escola que não há lixeiras (agora tem), já estava na hora de separarmos o lixo na escola, pois sempre estudamos as cores para cada tipo de lixo e sem contar que uma simples atitude, ou seja, uma rifa conseguiu uma ação macro.
Então fica o convite vá a Escola Estadual Joselita Brasileiro e confira como ficou mais bonita e ecologicamente correta.
Fabiana Carla – Professora de Filosofia

Nenhum comentário:

Postar um comentário