Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

domingo, 20 de janeiro de 2013

Comentário sobre a SECA por Marcos Marciel

O nordeste brasileiro vive a maior seca dos últimos 40 anos. Aqui na Paraíba, ou melhor em todo o nordeste, a ajuda que o governo manda é tão insignificante que não evita desgraça alguma. Seguro safra e bolsa estiagem são migalhas que o governo mandou para o trabalhador do campo. O valor do seguro safra foi de R$ 80,00. Entretanto, 1kg da fava custa R$ 18,00 e o do fejão R$ 6,00, aqui no vale do Piancó. Em muitas cidades nordestinas o abastecimento de água está comprometido. O povo está comprando carradas de água transportadas em carros pipas. Como a própria reportagem do Fantástico mostrou, uma carrada de água está custando R$ 150,00.

O governo Dilma e o governo Ricardo Coutinho não estão fazendo nada para combater as consequências da seca.

Por isso, nós nordestinos e paraibanos, temos que fazer como Padre Djacy que levantou a bandeira da luta em favor das vítimas da seca e da transposição do Rio São Francisco. Assim como ele, devemos mostrar para o nosso país a forma como esses governos sacanas vem tratando do problema da seca. Também devemos, assim como ele, clamar, gritar, por políticas públicas de combate às consequências da seca.

Tomando o exemplo de Padre Djacy, os sindicatos dos trabalhadores rurais de todos os municípios nordestinos deveriam abraçar essa luta. Mais padres deveriam colocar o problema da seca para o povo nas missas. Mais pastores também deveriam fazer o mesmo. Todas organizações políticas progressistas e revolucionárias, civis, sociais, governamentais ou não, deveriam fazer o mesmo, pois dessa forma uma grande corrente em favor das vítimas da seca e contra os latifúndios pode ser forte e efetiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário