Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Obra iniciada há 15 anos e inaugurada há 3 meses por Ricardo continua fechada

Já completaram 3 meses de reinauguração mas local continua fechado e governo do estado gasta em torno de 100 mil reais/mês com funcionários para trabalhar 2 horas por semana

Considerado um dos maiores símbolos do desperdício de dinheiro público do Estado da Paraíba, o Rodoshoping de Patos-PB, completa hoje 03 meses de sua inauguração. Contudo, suas portas continuam fechadas e algumas obras, a exemplo da guarita, inacabadas. No dia 23 de outubro de 2012 o governador Ricardo Coutinho esteve em Patos para inaugurar oficialmente a obra que começou a ser edificada no ano de 1998, no governo de José Maranhão I. O prédio, chamado de elefante verde no governo de Cássio Cunha Lima (que sucedeu Maranhão e nunca demonstrou interesse na conclusão da obra) e de elefante vermelho, no governo de Zé Maranhão II e III, agora corre o risco de se tornar um elefante laranja.
Quando esteve em Patos para sua inauguração, o governador Ricardo Coutinho conferiu “in loco” que faltava muito para conclusão da obra, mas mesmo assim resolveu “inaugurá-la”. Na época, como não havia energia elétrica instalada no prédio, os correligionários de Ricardo, e que ocupam cargos de confiança no seu governo, improvisaram uma iluminação a partir de um gerador à diesel, que inclusive falhou por 03 vezes, justamente quando o chefe do poder executivo estadual falava da importância que a obra teria para os Patoenses. Passados 03 meses, o espaço ainda não está sendo aproveitado, mesmo com a promessa de Ricardo Coutinho de que no dia seguinte à inauguração, a rodoviária estaria em pleno funcionamento.
Pior que a ociosidade do espaço que promete abrigar ainda um mini shopping, é o que o Estado vem gastando com servidores contratados através de uma empresa da capital: cerca de 100 MIL REAIS por mês, para pagar aproximadamente 20 funcionários responsáveis pelos serviços de manutenção do prédio, mas que só dão expediente por 02 horas e apenas uma vez por semana. Ontem nossa equipe esteve no local, mas nenhum representante da empresa foi encontrado. Apenas um policial PM estava no local e ele não soube informar nem o nome da empresa, muito menos quem seriam seus representantes em Patos. Ainda de acordo com as informações, parte dos trabalhadores, a exemplo do pessoal de limpeza, vigias e outros, teriam sido contratados através do ex-vereador Madiel Conserva, atual diretor da residência do DER, em Patos.
Ainda de acordo o militar, que pediu para não ser identificado por medo de represália por parte de políticos de Patos ligados ao governo, o administrador do Rodoshoping, identificado pela alcunha de MACARRÃO, dificilmente aparece no prédio. Já os funcionários contratados através da empresa de João Pessoa, e que estavam todos presentes no dia da inauguração, agora só aparecem uma vez por semana. Eles resolveram fazer uma escala onde uma vez por semana apenas 02 vão até o local pela manhã, mas só ficam cerca de duas horas e depois vão embora. Até por que não teriam o que fazer.
O retrato do desperdício do dinheiro publico também ser constatado nas obras de duplicação do trecho da rodovia de acesso ao Rodoshoping. As máquinas do DER – Departamento de Estradas e Rodagens - iniciaram o serviço, inclusive com a ampliação dos bueiros de águas pluviais, mas a obra ficou pela metade depois de várias horas de serviços de máquinas trabalhadas. A ordem para que o serviço não fosse concluído, teria partido do Secretário Executivo do Programa de Aceleração do Crescimento na Paraíba, Ricardo Barbosa.
Embora não exista uma previsão de quando realmente o Rodoshoping irá funcionar de verdade, existe uma expectativa de que tão logo sejam instaladas as linhas telefônicas e concluída a construção da guarita, os embarques e desembarques devem começar. Já o mini shopping, a previsão é de que até o final do ano as primeiras lojas estejam funcionando, ao contrário da Casa da Cidadania que deveria estar funcionando desde os primeiros 15 dias após a inauguração, mas que até agora, nada.
O custo inicial da construção do Rodoshoping era em torno de 4,5 milhões. De acordo com informações da Secretaria de Infraestrutura do Estado, até outubro do ano passado o governo já tinha gasto mais de 7 milhões. Os prejuízos provocados pela falta de continuidade da obra ao longo dos últimos governos, lembram as obras de transposição do Governo Federal, que foi alvo de matéria do Fantástico da Rede Globo, que mostrou além do descaso do governo do PT com o andamento dos serviços, suspeita de superfaturamento que se aproxima de 1 milhão de reais. Curiosamente, Ricardo (PSB) e Dilma (PT) se apresentam como governantes socialistas.


maispatos.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário