Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

sábado, 31 de julho de 2010

Estrada de Santana dos Garrotes completa um ano e ainda não viu 1m de asfalto

Há mais de 13 anos, a população de Santana dos Garrotes e de Nova Olinda aguardam a conclusão do asfaltamento da BR-426, principal via de acesso e saída das duas cidades, e parece que vão precisar de um pouco mais de paciência, apesar de toda propaganda do Dnit (Departamento de Infraestrutura de Transporte) de que a obra seria rápida e irreversível.

A construtora Rodocon, do Rio de Janeiro, que ganhou a licitação, começou as obras há exatamente um ano, mas até o momento nenhum metro de asfalto foi colocado na rodovia, que tem alguns trechos ainda sem, sequer, terraplenagem.

A explicação para tanta demora vem da falta de recursos: a informação é que, para cortar gastos orçamentários, o Governo Federal cancelou o empenho destinado à obra, e, apesar disso, a construtora, que teria recebido até o momento apenas 2 milhões de reais, continua trabalhando, mas sem a velocidade que a população esperava.

São 22 km de estrada e um orçamento de 15 milhões de reais. “A gente esperou tanto por esta estrada, e quando começou a obra, todo mundo pensou que iria ser uma coisa rápida, mas já tem um ano e a estrada continua no barro e na pedra”, lamenta um cidadão local.

Mas a falta de dinheiro não é o único obstáculo no meio do caminho: dois postes da Energisa também estão atrasando os serviços. Em função de desvios no curso da estrada feitos pela construtora, a via terminou indo de encontro aos postes, que precisarão ser retirados.“Já foram feitas solicitações à Energisa, mas até o momento esses postes não foram retirados, o que é lamentável”, comentou o vereador santanense José Paulo no final da semana passada.

Com relação ao cancelamento do empenho destinado ao asfaltamento da estrada, o vereador Rênio Macedo informa que alguns políticos já estão mobilizados para reaver os recursos e garantir a continuidade da obra. “A população está muito ansiosa pela conclusão da estrada porque é uma obra muito importante e esperamos que todos esses problemas possam ser resolvidos e a estrada possa caminhar normalmente”, enfatiza.

Rodovia abandonada

Uma outra rodovia federal que corta o Vale e que também tem preocupado os motoristas é a BR- 361, entre Itaporanga e Patos: são 110 km de estrada sem um único posto da Polícia Rodoviária Federal, mas jumento é o que não falta.

Os animais tomaram conta da via e têm provocado graves e constantes acidentes, a exemplo do que matou o maestro Radegundis e mais três músicos no dia primeiro deste mês.

Folha do Vale

Nenhum comentário:

Postar um comentário