Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Líder tenta minimizar a crise prevendo que CCL não é candidato

Sina essa do governo “socialista” da Paraíba. Além de conviver com o fator negativo de ser um dos principais estados do país mais violento, também de ter uma educação do ensino fundamental que beira o caos, eleitoralmente vive em constante ameaça em, de repente, ver o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) subir no banco da praça para anunciar sua candidatura ao governo em 2014.
Não está sendo fácil conviver com uma situação dessas, conforme demonstrou o deputado Hervásio Bezerra (PSDB), líder do governo na Assembleia. “Ainda não ouvi em nenhum lugar da imprensa paraibana o senador Cássio declarar que é candidato a governador”.
Nem precisa deputado Hervásio. Basta ver a movimentação do próprio Cássio e dos aliados, a exemplo do que ocorreu nesta quarta (9) com o deputado estadual Carlos Dunga (PTB). Pragmático, Dunga proclamou que segue orientação do senador Cunha Lima, admitindo afastar-se do partido se o novo presidente Wilson Santiago impuser uma candidatura ao Senado na chapa a reeleição de RC.
Só esta semana o grupo de Cássio apresentou-se com movimentação que mostram que a aliança de 2010 está próximo do fim. Além do ato de Carlos Dunga, a decisão do senador tucano não ir ao aniversário do amigo-irmão Ricardo Barbosa e, também, o “ponto de interrogação” quando o governador pediu a CCL um nome para a PBGás.
Acabou ouvindo o que não queria: “Nossa aliança não foi feita em troca de cargos”.

Vixe

Marcone Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário