Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

terça-feira, 16 de abril de 2013

Cássio revela condições de manter aliança com RC


Cássio revela condições de manter aliança com RC
Cássio revela condições de manter aliança com RC em 2014 e aumenta ainda mais o suspense

A permanência da aliança do PSDB com o PSB em 2014 ainda é uma Incógnita.  Muitos cassistas defendem que o senador seja o candidato do PSDB ao governo em 2014. O deputado Ruy Carneiro tem liderado essa bandeira. A recém chegada do ex-senador Wilson Santiago a base governista colocou em risco a manutenção da aliança que levou RC ao Governo.


Em uma entrevista à imprensa paraibana concedida a uma emissora de TV da Capital, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) revelou uma das condições para que a aliança com o governador Ricardo Coutinho (PSB) seja mantida em 2014. "Não tenho nada contra a vinda de Wilson para o governo, mas não para ocupar a vaga de senador, se for dessa forma, começa a complicar as alianças, pois Rômulo é prioridade na majorítária".


Deixando os ricardistas com o sinal de alerta aceso, Cássio também não escondeu a sua vontade de voltar a governar a Paraíba. "Me dedico a tudo que faço, tenho uma função relevante no senado federal, mas no fundo tenho vontade de retomar o trabalho que foi interrompido no governo da Paraíba", disparou, para em seguida afirmar que 2013 não é o momento correto para discutir sobre a sucessão estadual.


Ele afirmou também que a decisão de manter ou não aliança vai depender do PSDB, mesmo sua palavra tendo uma força considerável sobre o grupo. "Vamos aguardar o desenho que será posto. A decisão do PSDB será colegiada, não depende só de mim. Claro que eu tenho a exata noção de que minha palavra tem peso no partido, mas eu não sou o PSDB, que é formado por outras forças, outros atores importantes que terão direito a opinar", disse.


Apesar de em alguns momentos querer esfriar as suas declarações em torno do seu relacionamento com RC, o tucano deixou transparecer alguns fatos que o deixaram magoado, a exemplo da demissão de Harrison Targino. "O governador tem o poder da caneta e o meu apoio nunca esteve condicionado às nomeações políticas. Respeitei a decisão, embora tenha considerado um erro, pois Harrison é um dos quadros técnicos mais competentes do estado da Paraíba", finalizou. Recentemente Cássio descartou o convite de Ricardo para que indicasse o presidente da PBGás.


Sobre a possibilidade de ter Luciano Agra como aliado, ele destacou que o ex-prefeito da Capital está mais próximo de Veneziano Vital do Rego. "Sobre as especulações de que ele seria meu vice, eu desconheço. O desenho que sei é que ele é colocado como vice de Veneziano. Não tenho conversado política com Luciano Agra", frisou.



PBAgora com politicamaiscedo

Nenhum comentário:

Postar um comentário