Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Aliados insinuam que Ricardo ambiciona indicar Estela na vice em 2014, será?

Os políticos costumam afirmar que 2013 é um ano administrativo. Conversa. Faltando um ano e oito meses para as eleições, a movimentação é grande e ninguém quer perder tempo. O governador Ricardo Coutinho (PSB), ainda não-candidato, que diga o contrário. Ele próprio é que mais se movimenta e as notícias estão aí para comprovar que o ano parece o da campanha eleitoral.
Nos subterrâneos do grupo “socialista”, insinuam que o governador Ricardo prepara um grande “golpe”. Quer repetir o que fizera quando renunciou a prefeitura de João Pessoa para concorrer ao governo do Estado na metade do mandato. Ele passou a perna nos partidos aliados e indicou para vice da chapa à reeleição Luciano Agra, que na época era o braço-direito da gestão.
Pois bem, fez com maestria. Prova disso é que nenhum partido reclamou. Mas quem ousava manifestar qualquer queixa? Ricardo emplacou uma chapa puro sangue. Ou seja, a candidatura de prefeito e vice do seu PSB. Saiu vencedor e partiu para disputar o governo com tranqüilidade, inclusive com a prefeitura de João Pessoa sendo o carro-chefe da campanha “socialista”.
Da mesma forma com que trabalhou na época da prefeitura, o governador Ricardo usa a mesma estratégia. Quer ter alguém de sua confiança para vice de sua chapa. E já teria feito a escolha: chama-se Estelizabel Bezerra, ou simples Estela, como queiram. Já existe quem esteja incomodado com a hipótese. Porém, ainda não manifestou a insatisfação publicamente.
“Estou pagando pra ver (…). Mas é preocupante”, disse o aliado que revelou ao blog as conversas de bastidores, em privado, nos subterrâneos do Palácio da Redenção ou da Granja Santana, residência oficial do governador do Estado.
Disse, ainda, suspeitar dessa movimentação. Não parece muito animado em apoiar a decisão neste sentido. E sentenciou: “é suicídio”.
Preocupa-se especialmente com a reação de aliado como o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), cujo partido apressa-se em conhecer a elegibilidade de sua candidatura a governador nas eleições de 2014. Como se sabe, CCL quer indicar o vice e o senador da chapa a ser encabeçada pelo governador.
O certo é que os personagens desse filme tornam-se personagens precários.
Marcone Ferreura

Nenhum comentário:

Postar um comentário