Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Dinheiro que Luiz Couto gastou com combustível daria para dar 5 voltas na terra

O deputado federal Luiz Couto (PT-PB) usou em 2009 quase 50 mil reais para pagar locação de veículo e gastos com combustíveis com verbas indenizatórias da Câmara dos Deputados. O curioso na prestação de contas do deputado petista, é que somente contabilizados os gastos com pagamento de aluguel de veículo durante este ano, daria para o deputado padre comprar um carro zero quilometro de quebra, poderia ainda adquirir 2 motos modelo Bis da Honda lançamento 2010 e com os gastos com combustíveis daria para dar 5 voltas e meia na Terra.

Embora seja impossível afirmar que este caso se configure má intenção e que tenham resultado de uma deliberada enxurrada de notas fiscais por parte do deputado Luiz Couto, o grande questionamento feito diz respeito à banalização dos gastos com locação de veículo a um custo de R$ 3.150,00 (três mil, cento e cinqüenta reais) por mês por um aluguel de veículo, pagos por cada contribuinte brasileiro. Somados os meses do ano somente com pagamento a locação, o Padre Couto gastou aproximadamente R$ 34.650,00 (trinta e quatro mil, seiscentos e cinqüenta reais), já que o mês de dezembro em curso, a prestação final de suas despesas com verbas indenizatórias ainda não aparecem disponíveis na página da Câmara dos Deputados.
Com combustíveis, o padre apresentou um rosário de notas que comprovam as despesas com postos espalhados pelo Brasil, perfazendo a quantia de R$ 16.252,12 (dezesseis mil, duzentos e cinqüenta e dois reais e doze centavos). Se o leitor mais atento dividir esse gasto pelo preço médio do litro da gasolina comercializado na Paraíba, chegará a 7.050 litros de gasolina, que daria para encher o tanque de 160 veículos ou então girar a terra 5 vezes e meia pela linha do Equador, já que este diâmetro mede exatos de 12.713 Km.

O caso das verbas indenizatórias ganhou destaque com a informação de que o deputado Edmar Moreira (PR-MG), famoso pelo escândalo do castelo, utilizou a tal verba para pagar serviços de sua própria empresa de segurança, que mais tarde se tornaria doadora de sua campanha eleitoral. Investigado pela Câmara, ele acabou absolvido.

A verba indenizatória serve para que o parlamentar use dinheiro próprio para bancar despesas relacionadas à atividade legislativa. Mais tarde, ele é reembolsado em eventuais gastos com aluguel, transporte, combustíveis, consultorias, divulgação da atividade parlamentar, material de escritório, serviços de escritório (como acesso à internet ou assinatura de periódicos ou de TV por assinatura) e serviços de segurança.

No caso da Câmara dos Deputados, o teto para o ressarcimento é de R$ 15 mil mensais, mas o parlamentar pode superar o limite em um mês ou mais, contanto que não ultrapasse R$ 90 mil no semestre.

Como há oito tipos de despesas passíveis de ressarcimento e como essas despesas não guardam relação entre si, provoca no mínimo curiosidade que a soma de várias notas fiscais resulte exatamente no teto permitido por semestre.

Gastos com Combustíveis em 2009


Mês 11/09 – R$ 1.564,87
Mês 10/09– R$ 1.820,16
Mês 09/09– R$ 1.186,88
Mês 08/09– R$ 1.706,00
Mês 07/09– R$ 1.947,47
Mês 06/09– R$ 1.113,68
Mês 05/09– R$ 1.988,68
Mês 04/09– R$ 858,09
Mês 03/09– R$ 1.503,94
Mês 02/09– R$ 1.173,56
Mês 01/09– R$ 1.388,79
POr:ClickPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário