Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

segunda-feira, 13 de julho de 2009

De janeiro a maio deste ano o CRAS (Casa da Familia) de Igaracy recebeu R$ 22.500 mil


De janeiro à maio deste ano, o CRAS de Igaracy já recebeu do Governo Federal R$ 22.500...
Parece muito, mais para um programa que trabalha simplismente com esse dinheiro é muito pouco, o trabalho que a equipe do CRAS e Casa da Família de Igaracy vem fazendo com os Jovens, Idosos e mães de família, como cursos de corte e costura, computação, danças, estamparia, capoeira entre outros é exemplo não só para o Vale do Piancó, mais para todo Paraíba.
Acredito eu, que esses programas precisam ser mais visitados e acompanhados pela população, vá até a Casa da Família e veja o que está sendo feito.

Veja a Matéria abaixo:

Mais de 9,5 milhões de pessoas são atendidas no Brasil por cerca de 3,8 mil Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). Eles funcionam com recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), atendendo famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade e risco social.
De janeiro a maio deste ano, o MDS investiu R$ 125 milhões nas ações desses centros. Aqui no Vale do Piancó os municípios receberão um total de R$ 526.500 mil, distribuídos da seguinte forma: Aguiar, Catingueira, Conceição, Coremas, Emas e Nova Olinda, R$ 45.000 mil cada; Itaporanga R$ 31.500; e outros 10 municípios R$ 22.500 mil cada, são eles: Boa ventura, Diamante, Ibiara, Igaracy, Olho D'água, Pedra Branca, Santana de Mangueira, São José de Caiana e Serra Grande.
O Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) é uma unidade pública da política de assistência social, de base municipal, integrante do SUAS, localizado em áreas com maiores índices de vulnerabilidade e risco social, destinado à prestação de serviços e programas socioassistenciais de proteção social básica às famílias e indivíduos, e à articulação destes serviços no seu território de abrangência, e uma atuação intersetorial na perspectiva de potencializar a proteção social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário