Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

sábado, 26 de abril de 2014

CÁSSIO NÃO DIZ ‘AVISA LÁ QUE EU vou’ sobre a sua pré-candidatura

cassioaraO senador Cássio Cunha Lima (PSDB) exibiu sua não-candidatura ao governo do Estado nas eleições de outubro nesta sexta (25), durante entrevista exclusiva e simultânea aos programas Rádio Verdade e Rede Verdade, do Sistema Arapuan de Comunicação. O que é certo: os tucanos terão candidato próprio a governador. Fora isso, de acordo com o tucano, “não há nada decidido, nem mesmo o nome do partido para a disputa”.
Garante que seu nome está sendo lembrado pelos filiados, “mas não houve essa decisão”. Também, que não seu unilateral, “mas quando chegar o momento o partido vai escolher o nome”, admitindo que “pode ser o meu ou de outro que se colocar”.
Sobre a divergência com o senador Cícero Lucena, que quer concorrer à reeleição, Cássio expôs seu ponto de vista: “Eu não vejo o PSDB com hegemonia para lançar uma candidatura ao governo e ao Senado em uma chapa pura [...]. É preciso formar alianças…”.
“… Cícero é um dos melhores quadros desse partido e pode lançar seu nome para qualquer cargo”, ressaltou.
As contas
A despeito da discussão em torno da audiência pública para debater as contas, já aprovadas pelo TCE/Paraíba, cujo julgamento no plenário da Assembleia não tem ainda data definida, o senador tucano não vislumbra movimentação no sentido de reprová-la para gerar a inelegibilidade do governador Ricardo Coutinho.
“A Assembleia não é formada por golpistas [...]. Cumprirá o seu papel constitucional, cujo dever é analisar, apreciar e julgar as contas do governo e cada aos parlamentares dar a transparência a esse processo e saber por que outras instâncias recomendaram a rejeição das contas [...]. Depois disso, com autonomia e independência eles devem decidir”, afirmou.
O recado
Líder da bancada do governo, o deputado Hervázio Bezerra (PSB) avisou que vai desenterrar as contas dos antecessores para também ser debatida em audiência pública. Cássio respondeu:
“Você não deve temer a provocação política, pois isso faz parte do jogo e não estou preocupado em fazer esse embate político [...]. O que Hervázio faz é proselitismo político [...]. As minhas contas foram aprovadas, as de Maranhão também, então é um ato de revanchismo, como se ele pudesse desarquivar contas já aprovadas para fazer revanche”
Agra vice
“Se ainda não tem candidaturas definidas, então não pudemos debater esse assunto, mas Luciano Agra é um quadro que pode concorrer cargo, seja majoritário ou proporcional”, destacou o senador. Ele leva sua não-candidatura neste sábado (26) ao município de Itabaiana, sexto município a definir se o PSDB deve ou não ter candidato próprio ao governo este ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário