Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

quinta-feira, 7 de março de 2013

Eduardo nunca teria confirmado apoio a reeleição de Dilma e ainda alerta o PT sobre pressão, afirma blog da Globo, veja:


Para interlocutores do PSB, o governador Eduardo Campos (PE) demonstrou desconforto com a pressão do PT e do Planalto para esvaziar o seu nome para 2014. “É preciso lembrar que existe a chance de ter segundo turno. Portanto, o PT não pode destruir as pontes, se quiser o apoio do PSB”, advertiu um integrante da cúpula do PSB, depois de uma conversa com Campos.

Ao ser questionado sobre a pressão do PT, e particularmente do ex-presidente Lula, Eduardo Campos tem dito que teve uma conversa sincera com a presidente Dilma. “Ele não assumiu o compromisso de apoiar a reeleição. Eduardo Campos deixou claro que o acordo é pela governabilidade em 2013. Para a eleição de 2014 não há definição”, disse esse interlocutor ao Blog.

por Gerson Camarotti  da Globo

Opinião por Hugo Carneiro Chaves
:
Caso a candidatura de Eduardo Campos, Governador de Pernambuco não seja concretizada, será a segunda vez consecutiva que o PT interrompe os sonhos do PSB em lançar uma candidatura própria. Em 2010 foi Ciro Gomes, agora será a vez de Eduardo Campos? E o pior é saber que o PT mais uma vez pode deixar o partido (PSB) fora da chapa e lançar novamente o nome do paulista Michel Temer (PMDB) como vice de Dilma. Depois de Lula, o nordeste pode ficar pela segunda vez, fora da chapa majoritária em 2014, já que Dilma é lá das bandas do sul e Temer é um paulistano nato.

Por fora corre o Senador por Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), neto do ex Presidente Tancredo Neves, que sabendo da força do Governador Eduardo Campos e ainda da força que o Nordeste tem na decisão política nacional, quer e defende isso abertamente, o nome do Governador Pernambucano como vice.
Agora é esperar pra ver o resultado final e aguardar como se comportará os votos do nordeste na próxima eleição.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário