Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Socialistas seguem desafiando Cássio, que ainda não se pronunciou


Para formalizar aliança com o PMDB, a despeito de não ter como adversário o candidato Veneziano Vital, o PSB do governador Ricardo Coutinho precisa pedir o autorizo do senador Cássio Cunha Lima (PSDB). Ou já percebeu que o tucano também é candidato a sucessão em 2014, conforme ele já admitiu em entrevistas ano passado.
Os socialistas ainda sobrevivem na dependência do tucano. Sabem que os principais adversários políticos de Cássio pertencem ao pemedebê. Mas, por outro lado, agem com inteligência quando racha o partido do ex-governador José Maranhão.
A despeito dos entendimentos mantidos em privado pelo governador e setores do PMDB, o senador Cássio ainda não se pronunciou a respeito do assunto. A julgar por uma única declaração pública no final do ano, porém, “o tom da música da repetição da aliança de 2010 vai depender de Ricardo (Coutinho)” significará um rompimento político.. 
Portanto, as conversas com o ex-senador Wilson Santiago (PMDB) servem para meter medo em Cássio, puxar o pemedebê para ser o fiel da balança ou, ainda, rachar a oposição para não ter um adversário forte como Veneziano Vital na disputa do próximo ano.



Os próximos meses reservam fortes emoções.

Marcone Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário