Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Ex-presidente Lula será peça-chave em possível racha no PMDB da Paraíba

O ex-senador Wilson Santiago (PMDB) não esconde mais que deixar seu partido é uma opção não só possível, mas bem provável. Em entrevista à repórter Mislene Santos (98FM), nesta terça-feira, Santiago fez um desabafo chateado com relação a seus “ainda” companheiros, mas evitou confirmar despedidas. Por outro lado, Santiago citou um nome que, pela importância dada diante da situação, pode ser definitiva para a relação litigiosa entre o ex-senador e o PMDB: Lula.

Questionado pela comunicadora se havia um prazo para deixar o partido, Santiago falou em cautela, mas colocou uma conversa com o presidente Lula como prioridade para a definição de sua postura nesse “mal-estar” que, segundo afirma, é motivado pela forma pouco leal demonstrada pelos que julga seus companheiros.

“O que está existindo no PMDB é um desconforto com relação a companheiros que insistem em não valorizar os quadros do seu partido”, desabafou o ex-senador. Disposto a “lavar a roupa suja”, Santiago foi mais ‘detalhista’ quanto aos motivos que levam a sua reação chateada. De acordo com o peemedebista, o interesse maior das grandes figuras que comanda o partido são os de satisfação meramente pessoal.

“Nós estamos mostrando e comprovando (aos amigos) nosso desconforto em relação ao partido, em decorrência de estarem sendo priorizados muitos projetos pessoais, e o partido que prioriza isso, sem se preocupar com a unidade dele, cria esse desconforto aos que querem o crescimento da sigla”, disparou. Sobre o dia “D” de sua decisão com relação a sua permanência ou não no PMDB, Santiago preferiu apostar no tempo.

“Nós temos muito tempo para definir esse desconforto. Primeiro vamos conversar com o presidente Lula e com os amigos. Eles já sabem da tentativa de isolamento, e o compromisso que muitos já assumiram com vários outros de outros partido, com relação à chapa majoritária”, declarou Wilson, apontando a Vital, Veneziano e Maranhão a responsabilidade por planos que passam distantes do interesse político de um “companheiro de legenda”.


Luis Alberto Guedes - MaisPB

Nenhum comentário:

Postar um comentário