Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

domingo, 6 de outubro de 2013

Democracia? Por Felipe Lacerda

Hoje (04/10/2013) eu assistia pela manhã na TV Senado uma Sessão no Congresso Nacional sobre a questão da candidatura da Marina Silva, que possivelmente não se concretizará, devido a não aprovação do registro do seu partido pelo TSE, a “Rede Sustentabilidade”. Nesta Sessão além da questão de Marina também eram enfatizadas questões sobre o Fundo Partidário, órgão responsável pelo financiamento dos partidos políticos, principalmente no que diz respeito ao marketing eleitoral. Esta Sessão foi encabeçada pelos senadores Cristóvão Buarque do PTB/DF e Jorge Viana do PT/AC, onde o primeiro defendia abertamente a extinção do Fundo Partidário e também uma maior democratização do estado com relação à legalização de candidaturas.

O segundo, o senador Jorge Viana PT/AC também entrou em concordância com Cristóvão Buarque PDT/DF, explanando ainda, que a não candidatura de Marina Silva será uma perda para democracia brasileira. O senador Jorge Viana declarou a seguinte frase sobre a decisão do TSE com relação ao veto a “Rede Sustentabilidade”: “Partidos que buscam registro e depois uma base social passam pela aprovação do TSE, mas partidos que já possuem base social e buscam apenas um registro, não passam pela aprovação do TSE”.

O senador também falou sobre as assinaturas da “Rede”, que não foram aceitas pelos cartórios, onde estes alegavam que as assinaturas de jovens não votantes e eleitores acima dos 70 anos não poderiam ser aceitas. Vendo o cenário desta sessão plenária do congresso percebe-se pelos discursos dos senadores Cristóvão Buarque PDT/DF e Jorge Viana PT/AC, que o Brasil tem que andar muito para chegar a um sistema político democrático, a começar pela desburocratização do Tribunal Superior Eleitoral. Mas no que diz respeito ao veto à criação da “Rede Sustentabilidade” não podemos culpar o TSE, afinal ele apenas cumpriu com seu dever. A maior parcela de culpa é do próprio Congresso Nacional, o qual foi responsável pela criação do Tribunal Superior Eleitoral. E é graças a esses fatores que mais de vinte milhões de pessoas não poderão votar no candidato a presidente que desejam. Neste caso a ex-senadora Marina Silva.

A maior verdade é que o sistema político e eleitoral do Brasil nunca foi democrático e isso é visível, por exemplo: você já se perguntou por que o voto é obrigatório?Porque precisamos nos filiar a partidos políticos para podermos disputar eleições?Porque financiamos os partidos políticos?A resposta para essas perguntas é única: porque nós não sabemos o verdadeiro significado de uma democracia!Estamos prestes a completar 25 anos da constituinte de 1988 que supostamente foi um marco para democracia da nação no século XX, mas sabemos que grande parte da nossa constituição não passa de uma utopia, e os direitos que ela nos assegura são lesados rotineiramente. Vemos candidatos de índoles corruptas se candidatarem de quatro em quatro anos, e infelizmente não podemos ver candidatos de índoles íntegras se candidatarem ao menos uma vez, devido a uma não filiação partidária.

O ocorrido com a “Rede Solidariedade” é uma demonstração da ausência de democracia no nosso sistema político. Mais enquanto não temos um sistema político satisfatório sigamos o “poema efemérico” de Millôr Fernandes: “Viva o Brasil, onde o ano inteiro é primeiro de Abril!”

Escrito por: José Felipe Lacerda Fernandes, aluno do 1° ano médio do Joselita Brasileiro da cidade de Igaracy-PB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário