Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Dnit começa restauração das BRs; no Vale do Piancó a BR 361 também receberá reparos. Confira!


Os motoristas que trafegam diariamente pela BR-230, no Sertão da Paraíba, têm de enfrentar, especialmente entre as cidades de Sousa e Aparecida, uma quantidade preocupante de falhas na rodovia que elevam os riscos de acidentes e até de assaltos. Em outros trechos da rodovia federal também apresentam irregularidades.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) revelou que as falhas e a restauração das rodovias federais deverão ser sanadas com um conjunto de obras de manutenção e restauração orçado em R$ 182 milhões, que já foram iniciadas.

O prazo de conclusão das obras está previsto para cinco anos.

Quatro rodovias federais que cortam a Paraíba serão contempladas (BR-230, BR-110, BR-405, BR-427). As obras da BR 230, uma das mais movimentadas do Estado e que liga o Litoral ao Sertão, já começaram. Já as reparações da BR-104 estavam com licitação marcada para ontem.

O trecho que compreende as cidades de Sousa e Pombal, conhecido pela grande quantidade de buracos, será priorizado na ação, que irá abranger, até sua conclusão, um total de 462,9 km.

“O recapeamento da pista será executado nos primeiros três anos do contrato, enquanto as ações de roçada, capina e caiação se estenderão até o quinto ano da obra. Reforçaremos os serviços de restauração ao longo de toda a extensão contratual, principalmente entre essas duas cidades”, explicou o superintendente do Dnit na Paraíba, Gustavo Adolfo.

Para evitar riscos de acidentes no final do ano, quando o fluxo de veículos crescem, o Dnit informou que até dezembro, a previsão é que seja usado um montante de R$ 10 milhões. Nesse período, todos os serviços de manutenção de pista devem ser concluídos, enquanto os de restauração começarão em janeiro do ano que vem. Diante da falta de chuvas no interior do Estado neste ano, o aumento da quantidade de buracos e irregularidades nas estradas paraibanas deve-se a outros fatores que não têm qualquer relação com as condições climáticas.

“A chuva não é o único fator que causa buracos ou falhas na pista de rolamento. Existem outros fatores que podem provocar esse problema, a exemplo do tráfego pesado de caminhões com excesso de peso e aumento do fluxo de veículos”, explicou o superintendente do departamento.

Ainda de acordo com o Dnit, o trabalho, que conta com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), faz parte do programa Crema 2ª Etapa e ficará sob a responsabilidade da empresa Consórcio SVC/PaviService.

“Não temos números a respeito de acidentes próximos às cidades de Sousa e Pombal, mas estamos cientes do problema e certos de que ele será rapidamente solucionado. A falta de chuvas ajudará no bom andamento do cronograma da obra”, concluiu.

A partir do próximo dia 19, outro pacote de obras deve ter início, contemplando as rodovias BR-110, BR-230, BR-361 e BR-412 através do Crema 1ª Etapa, com um orçamento de mais de R$ 44 milhões. As obras devem se estender pelos próximos dois anos. Também encontra-se em andamento o projeto da duplicação da BR-104 de Campina Grande até a divisa do Estado com Pernambuco, com previsão de conclusão para junho ou julho de 2013.

JP Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário