Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

domingo, 30 de novembro de 2014

Amigos e elenco de ‘Chaves’ participam de cerimônia para Bolaños

chaves Vários parentes, amigos e colegas do elenco dos seriados “Chaves” e “Chapolin” participaram na madrugada deste domingo (30) da cerimônia de homenagem a Roberto Gómez Bolaños, que aconteceu na sede da emissora Televisa San Ángel, na Cidade do México. Bolaños, que criou os seriados e interpretou os dois protagonistas, morreu na sexta-feira (28), aos 85 anos, em sua casa em Cancún.
O corpo do comediante chegou à sede da Televisa San Ángel, na Cidade do México, por volta das 20h20 de sábado (29), no horário de Brasília, segundo o canal de televisão. O local foi preparado para receber uma homenagem privada ao artista, e colegas de trabalho, familiares e amigos foram convidados a participar da cerimônia. Edgar Vivar, que deu vida ao Senhor Barriga no seriado “Chaves”, chegou ao local por volta das 18h30 (22h30 no horário de Brasília). A missa de corpo presente foi presidida pelo monsenhor Diego Monroy.
Depois da cerimônia, o corpo do artista segue para o estádio Azteca, onde os fãs poderão se despedir neste domingo (30). Milhares de ingressos para esta cerimônia já começaram a ser distribuídos.
A atriz mexicana Florinda Meza, viúva do ator e intérprete do personagem de mesmo nome em “Chaves”, acompanha o corpo desde a saída de Cancún. No trajeto entre o aeroporto e a Televisa, o cortejo parou durante cerca de 40 minutos, segundo a Foro TV, em uma agência funerária. Depois, ele retomou o caminho pela estrada até Toluca, onde fica a Televisa.
Na manhã deste sábado, Florinda agradeceu o apoio e o carinho dos jornalistas e fãs do humorista. “Obrigada por todo o apoio que deram ao meu Robert”, afirmou ela a jornalistas, segundo o jornal local “Excélsior”, antes de embarcar no avião que levaria o corpo do comediante até a Cidade do México.
Neste domingo, os fãs estão sendo chamados para participar da cerimônia de despedida do artista mexicano e a levar uma flor branca.
Sucesso internacional
Dono de frases antológicas, como “ninguém tem paciência comigo” e “não contavam com a minha astúcia”, que marcaram gerações de fãs em toda a América Latina, Roberto Gómez Bolaños, também criador do Chapolin, foi humorista, escritor, ator, produtor de cinema, TV e teatro.
“Chapolin” se tornou o primeiro seriado mexicano a ser vendido para outros países, e “Chaves” seguiu o mesmo caminho. Ao longo de quatro décadas, os programas foram exibidos em mais de 90 países, sendo Cuba o único em toda a América Latina a não exibi-los.
Dublado em dezenas de idiomas, foi sucesso também nos Estados Unidos e em países da África e Europa. No Brasil, os personagens chegaram em 1984, através do SBT.
G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário