Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Padre Djacy diz no PB Notícias que o Vale do Piancó é tratado pelos políticos estaduais como "curral eleitoral" e sua gente como "boiada"

Em duas horas de programa, devido o grande número de ouvintes participando por telefone do debate, obrigando o noticioso a ultrapassar em meia hora de seu tempo normal, o PB Notícias desta quarta-feira (15), levado ao ar pela Pedra Bonita FM, apresentando por Ricardo Pereira e Norton Júnior, recebeu em sua bancada o guerreiro Padre Djacy Brasileiro que falou sobre diversos temas e respondeu a inúmeras perguntas dos ouvintes, que também elogiaram o seu trabalho em prol do sertanejo.
Destemido, o padre foi logo de cara acunhando na hipocrisia dos políticos diante das causas que afligem o povo sertanejo, em particular, os valepiancoenses. Padre Djacy disse textualmente que a região do Vale do Piancó ainda é tratada como "curral eleitoral" e seu povo como "baiada". Com relação à violência e o tráfico de drogas, o padre pontuou que é preciso um combate mais enfático nesse sentido. Ele entende que os valores familiares estão se extinguindo e defendeu a vinda de médicos de fora do País para suprir as necessidades da população.
A entrevista contou com a participação importante do advogado João Franco Filho. Abaixo, trechos da entrevista:
Transposição das Águas do Rio São Francisco
O padre disse que a burocracia ainda é a causadora do atraso nas obras e pediu que a população do Vale do Piancó saia às ruas em manifestação para não deixar passar essa oportunidade de se construir um canal pelo Rio Piancó. "Infelizmente, a burocracia ainda é o maior obstáculo para o andamento das obras. Agora, o povo do Vale não pode perder essa grande chance de brigar por um canal para o Rio Piancó. Somente com o canal essa região terá sua sobrevivência em épocas de estiagem".
Seca e o movimento capitaneado pela Assembléia Legislativa
O padre detonou um evento, realizado em João Pessoa, promovido pela Assembléia Legislativa para discutir problemática da seca. "Como é que se promove um evento dessa magnitude num hotel luxuoso, em pleno litoral, para discutir problemas causados pela seca. Está errado. Era pra ter sido realizado aqui no interior, onde se encontra o problema". 
Sobre casamento de pessoas do mesmo sexo, violência, drogas, etc, perguntado por ouvintes
O padre lamentou diante de vários fatores que os valores familiares estejam sumindo para dar vez a males encorajados pela impunidade. "É uma junção de fatores que estão acabando com a harmonia da família, onde filhos não respeitam pais e por aí vai. Precisamos estudar a causa do problema e buscar uma solução para salvar o alicerce familiar".
Mortes no trânsito, alto índice de suicídio na região, Lei Seca e diminuição da maioridade penal
O padre pediu ao comando do 13º BPM para aplicar a Lei Seca na região a fim de evitar o crescente índice de mortes no trânsito. "Peço ao comando do 13º BPM fazer blitz e aplicar a Lei Seca, como forma de prevenir as mortes de trânsito, que tem crescido assustadoramente aqui na região". Ele pediu também que as autoridades busquem uma maneira de diagnosticar as causas para o alto índice de suicídios praticados na região: "Temos que saber porque essas pessoas estão tirando suas vidas. As autoridades precisam se alertar pra esses casos". Quanto à diminuição da maioridade penal ele se mostrou cauteloso com a ideia: "O que precisamos fazer é descobrir porque o adolescente está no mundo do crime. E a partir daí estudar a melhor maneira de ajudá-lo, devolvendo-o ao convívio da sociedade. Mas, trata-se de um assunto muito complexo, que envolve muito fatores. Por isso é preciso ter cuidado com propostas deste tipo", pontuou.
A importação pelo governo federal de seis mil médicos de Cuba para atuar no interior
O padre afirmou que apoia a iniciativa do governo federal porque o povo não quer saber se o médico é de Cuba ou dos Estados Unidos, mas que venha suprir as necessidades, as quais os profissionais daqui não querem, por não aceitar trabalhar no interior. "Aprovo essa iniciativa porque o povo não pode continuar sofrendo sem ter direito à atendimento médico. Várias prefeituras oferecem cerca de R$ 15 mil, mas nenhum médico quer vir trabalhar no interior e quem sofre com isso é o povo. Então, se nossos profissionais não querem vir trabalhar no interior, está mais do que certo o governo trazer médicos de fora para atender nossa gente. Sem falar que a área médica ainda é muito elitizada..."
Sobre os políticos e a carência do Vale do Piancó com relação à cursos superiores
Padre Djacy disse de maneira enfática que a região ainda vive como um "curral eleitoral" e que sua gente é tratada como "boiada", pelos políticos. "A verdade é que a região do Vale do Piancó continua sendo, para os políticos estaduais, um curral eleitoral e sua gente é tratada como boiada. Esses políticos só querem saber do voto do nosso povo e não tem nenhum compromisso com a região. Cadê o campus universitário? Cadê as manifestações do povo para que o ensino superior chegue à essa região? É preciso mobilizar o povo. Não podemos aceitar tudo isso inertes, de braços cruzados".  
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário