Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

terça-feira, 10 de março de 2015

PTB e DEM avançam nas definições que vão fundir as duas legendas...

A união entre o PTB e o DEM virou uma possibilidade real e ganha cada vez mais defensores. O movimento começou nas cúpulas nacionais dos partidos, em Brasília. Líderes das duas legendas estão simpáticos à ideia. A preço de hoje, os benefícios são bem maiores que os prejuízos. O PTB tem 25 deputados federais e três senadores. O Democratas possui 21 deputados federais e cinco senadores. A fusão transformaria a nova legenda na quarta maior do Congresso Nacional. 
O deputado federal paraibano, Efraim Filho (DEM), não vê objeção na união do seu partido com os petebistas, mas acha que é preciso cautela por causa das realidades estaduais. E esse, segundo Efraim, deve ser o próximo passo das legendas. Aqui na PB, a união pode, aparentemente, ser boa para os dois grupos. Mas, de acordo com o democrata, o assunto ainda não foi motivo de conversa entre ele, Wilson Santiago e Wilson Filho. 
Em uma conversa aqui em JP, Efraim fez uma análise sobre a fusão. Segundo ele, os dois partidos, aqui no estado, têm um perfil municipalista e a junção faz nascer uma legenda com poder de fogo nas eleições do ano que vem. Seja para lutar por espaços mais privilegiados nas composições, seja para lançar um nome próprio em várias cidades. A proposta inicial é que o novo partido fique com o nome do PTB e com o mesmo número. Os parlamentares que não concordarem com a união podem sair e se filiar à outra legenda, sem correr o risco de ser punido por infidelidade partidária. 
O presidente estadual do PTB, Wilson Santiago, está empolgado com a união. Por telefone, de Brasília, disse que foi chamado para integrar uma comissão de articulação para tratar dos entendimentos nos estados. Segundo Wilson, dos 27, em quase 20 já há consenso para fusão. Em apenas sete será preciso atuar mais fortemente, para acabar com as divergências. “É importante a fusão. Especificamente, na linha que está sendo construída. Com independência, respeitando o posicionamento de cada”, registrou. WS destacou que entre os benefícios estão o aumento do tempo de televisão, do fundo partidário e o fortalecimento do partido no Congresso. Segundo ele, outras legendas menores também estão interessadas em se unir e as negociações estão avançadas. 
Nacionalmente, o Dem abre possibilidade de ampliar o campo de alianças políticas, que hoje só parece convergir com o PSBD e uma ala do PPS. No âmbito estadual, amplia as possibilidades de Efraim Filho se fortalecer e pensar numa disputa para prefeitura da capital num partido mais forte. Já o PTB tem uma chance real de se aproximar do governador Ricardo Coutinho (PSB). Na eleição, o partido se aliou ao candidato do PSDB, Cássio Cunha Lima, e, com a derrota, deixou para trás boa parte das perspectivas de poder, influência e projeção. Com a aliança, o DEM abre porta para o PTB se aproximar do governador e se fortalecer. Onde está não há perspectiva alguma. (Laerte Cerqueira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário