Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

domingo, 8 de dezembro de 2013

Perseguição a Trabalhador: Política Antidemocrática



“Acima de tudo procurem sentir no mais profundo de vocês qualquer injustiça cometida contra qualquer pessoa em qualquer parte do mundo. Essa é a mais bela qualidade de um revolucionário.” Che Guevara

Lendo o Jornal Folha do Vale vi a notícia: Pai de 3 filhos e dormindo numa garagem, concursado desiste de emprego alegando perseguição1. Isso ocorreu em Nova Olinda-PB. O trabalhador que pediu demissão é procedente de Patos-PB. Mesmo assim ele cumpria, sem nenhum problema, sua função de motorista, desde quando assumiu o cargo há cinco meses. Sem nenhum problema por parte dele. Mas com sérios problemas por parte da prefeitura de Nova Olinda, que começou a mudar o horário de trabalho e atrasar o salário do trabalhador. Segundo o Jornal Folha do Vale, os horários eram alterados de forma a prejudicar a ação laboriosa do trabalhador, que não recebia taxas por insalubridade.

Não suportando as perseguições pelas quais estava passando, o trabalhador, concursado, pediu demissão. Um trabalhador, que conquistou o emprego de motorista na prefeitura de Nova Olinda por méritos próprios, sem via de dúvida, capacitado, teve que pedir demissão por não suportar as perseguições.

As perseguições, no âmbito das administrações públicas das prefeituras (no Estado da Paraíba), aos trabalhadores e a parcela da população que não votou no prefeito eleito são, em geral, rotineiras, segregadoras, humilhantes e opressoras. Como saldo desse tipo de ação política, os políticos locais tem “total” controle sobre o povo, que vive sendo jogado em situações políticas, sociais e econômicas totalmente desfavoráveis, mas que amarram o povo aos interesses particulares desses políticos.

Essa política coronerialista, paternalista, despótica, corrupta, de bajuladores, antiautônoma para os trabalhadores, antipovo, tem que acabar. É um absurdo o que fizeram com esse trabalhador. Ele foi vítima da política do toma lá dá cá, que existe em nosso Estado e que é comum nesse tipo de sociedade capitalista que vivemos. Nós temos que acordar e se levantar contra esse tipo de estado de coisas. Nós temos que ser contra os grupos (poucas famílias) que dominam a política de nossas cidades, ao mesmo tempo em que devemos construir alternativas políticas que tire esse tipo de gente do poder. Esses tipos de políticas não servem para o povo, não servem à classe trabalhadora. Temos que olhar na face dos prefeitos e vereadores ineficientes dos nossos municípios, na face dos políticos da ordem, e dizer-lhes em alto e bom som: vocês não servem aos trabalhadores, nem ao povo. Se deram o melhor de si, lamento dizê-los que são limitados para o que nos interessa quanto trabalhador, quanto povo.

Socialismo ou Morte.
Venceremos.

Marco Maciel – Militante Comunista, físico e estudante de Medicina

PS: 1) http://www.folhadovali.com.br/site/modules/news/article.php?storyid=3988

Um comentário:

  1. o pior amigo marco fisico, eh que ainda vai ter filho de rapariga quevai dizer que o gestor publico esta certo agindo dessa forma, tratando como seu o que eh de todos.

    ResponderExcluir