Frase

“Não troco meu “Oxente” pelo “ok” de ninguém” – Ariano Suassuna

sábado, 10 de dezembro de 2011

Aumento da lepra no município de Igaracy, e doentes estão sem assistência, denuncia vereadora

Segundo a parlamentar mirim, a saúde pública de Igaracy está em completo abandono

Por Sousa Neto/Folha do Vale – Em contato com a redação da Folha ( www.folhadovali.com.br ) na tarde desta quinta-feira, 8, a vereadora de Igaracy, Fabrícia Lopes (PP - foto), pintou um quadro de descaso e horror na saúde pública municipal. “Para você ter uma ideia, hoje uma pessoa procurou os três postos do Programa Saúde da Família e não encontrou aparelho para medir sua pressão arterial”, denunciou. Mas essa não é a única carência da saúde local: “aqui falta tudo: não tem médico, não tem remédio e falta até material para se fazer um curativo”.

Conforme a parlamentar mirim, para tomar um soro ou receber um curativo, os pacientes precisam se deslocar para a cidade vizinha, que é Aguiar. “Tem pessoas daqui que passaram a morar em outro município porque necessitam de curativos constantemente em função de tratamento pós-cirúrgico ou de feridas causadas por diabetes, e aqui não encontram assistência, por mais simples que seja”, enfatizou, ao informar que o único hospital da cidade encontra-se fechado.

No entanto, o que mais afeta a população, segundo ela, é a falta constante de médico e remédio no município. “Há semanas que não aparece um médico por aqui, e, quando tem, não passa mais do que um ou dois dias”, lamentou a vereadora, ao acrescentar que “a população está sofrendo muito, especialmente as famílias pobres, e é triste a gente notar que 25 anos atrás existia saúde em Igaracy, bem diferente de hoje”.

E uma das denúncias mais graves feitas pela vereadora Fabrícia é que, segundo ela, as pessoas acometidas por hanseníase, doença também conhecida como lepra, que é altamente contagiosa, estão sem assistência, o que contribuiu para o aumento do número de casos. A vereadora estima que pelo menos 50 pessoas locais, inclusive jovens, padeçam da enfermidade, que atinge nervos e pele do paciente, causando grandes danos à saúde. “Antes existia uma médica na cidade vizinha, Aguiar, onde as pessoas se tratavam, mas hoje os doentes estão sem nenhuma assistência, e isso é complicado porque é uma doença que vai passando de uma pessoa para outra através de um simples contato, principalmente entre os familiares”.

Para agravar ainda mais a situação, os agentes comunitários de saúde, conforme ainda Fabrícia Lopes, estão sem condições de exercer plenamente suas atividades em função da falta de equipamentos e transporte. “Nem o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) está funcionando corretamente: esta semana mesmo uma pessoa necessitou da ambulância e não conseguiu, e o problema é que tem que telefonar para Piancó, e nem sempre o funcionário que regula o serviço libera o carro, tudo é muito burocrático e difícil”, lamentou a vereadora, ao argumentar que “todo esse descaso ocorre por falta de vontade política e completa ausência de organização e planejamento”.

Um comentário:

  1. Enquanto A Vereadora tenta melhorar a Saude de seu Municipio o Vereador e Presidente da Camara de Ibiara tenta icentivar a violencia, pois o mesmo no sabado dia 10/12/2011 agridiu a TAPAS o Poeta Gorge Rolim tambem Ibiarense, os dois estavam bebendo no bar de Luizão juntamente com o Prefeito da Cidade e varios Auxiliares, na ocasião o Poeta foi defender um Ex: Prefeito do nosso Municipio e o Vereador não gostou, ai agrediu-o covardemente, mas já é pratica deste Vereador, pois o mesmo já bateu em outros conterraneos inclusive Militar e teve nem uma punição. Senhores Comendante da Policia Militar e Senhor Delegado da Comarca de Conceição será que estas praticas envolvendo politicos em nossa Cidade vai continuar sem nenhuma providencia só porque são aliados do Prefeito?. Gostaria que os Senhores tomasse as devidas providencias.

    ResponderExcluir